BPN: Banco de Portugal afasta suspeitas sobre transferências de clientes para CGD

BPN: Banco de Portugal afasta suspeitas sobre transferências de clientes para CGD

Lisboa, 04 fev (Lusa) - O governador do Banco de Portugal garante que o supervisor não encontrou movimentos entre a CGD e o BPN que levassem a concluir que o banco público tirou partido da gestão do BPN para captar recursos de clientes.

"Não foram detetadas operações atípicas de clientes entre o Banco Português de Negócios (BPN) e a Caixa Geral de Depósitos (CGD)", revelou o Carlos Costa no Parlamento, frisando que o Banco de Portugal analisou esta matéria em virtude das notícias que davam conta que o banco estatal estaria a ser beneficiado com a gestão do BPN.

"Se a CGD tivesse beneficiado, só pela sua quota de mercado, teria recebido mais", realçou Carlos Costa, logo na abertura da sua intervenção na Comissão de Orçamento e Finanças, que visa prestar esclarecimentos sobre a atual situação do banco que foi nacionalizado no final de 2008.

Antes do governador, já foram ouvidos no Parlamento na primeira metade do mês de janeiro, no âmbito deste processo, Francisco Bandeira, presidente do BPN, Teixeira dos Santos, ministro das Finanças, e Faria de Oliveira, presidente da CGD.

De acordo com as informações prestadas nas audições dos responsáveis já ouvidos, atualmente, o 'buraco' financeiro do BPN ronda os dois mil milhões de euros. Já o valor total das assistências de liquidez recebidas pelo BPN do banco estatal ascendem a quase cinco mil milhões de euros.

DN.

Lusa/Fim