Novas regras do subsídio de desemprego mantêm limite de 65% do salário bruto desde que não ultrapasse 75% do líquido

Novas regras do subsídio de desemprego mantêm limite de 65% do salário bruto desde que não ultrapasse 75% do líquido

Lisboa, 28 abr (Lusa) - A ministra do Trabalho garantiu hoje que os referenciais para a atribuição do subsídio de desemprego vão manter-se, sendo apenas alterada a situação dos desempregados que auferem um subsídio idêntico à remuneração líquida que recebiam no ativo.

"A proposta do Governo não altera em nada os referenciais para a atribuição do subsídio de desemprego", disse Helena André aos jornalistas, no final de uma reunião de concertação social.

A ministra esclarecia, assim, as dúvidas que tinham sido suscitadas pela apresentação aos parceiros sociais de uma documento com propostas de novas regras para o regime de subsidio de desemprego.

Atualmente o subsidio de desemprego corresponde a 65 por cento do salário bruto do trabalhador e tem como limite máximo o valor de 3 IAS (419 euros vezes 3) e como limite minimo um IAS (419 euros).

A proposta hje apresentada não exclui a regra dos 65 por cento mas impõe que niguém receba mais de 75 por cento do salário líquido que tinha quando começou a receber subsídio de desemprego.

RRA.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Fim