• Lusa
actualizado: Wed, 29 Aug 2012 09:16:12 GMT

Centro quer usar internet e artistas para salvar abrigo de lobos ibéricos

Lisboa, 29 ago (Lusa) - O Centro de Recuperação de lobos ibéricos, que está em risco de perder a casa se não comprar o terreno onde se encontra, lanço...


Centro quer usar internet e artistas para salvar abrigo de lobos ibéricos

Centro quer usar internet e artistas para salvar abrigo de lobos ibéricos

Lisboa, 29 ago (Lusa) - O Centro de Recuperação de lobos ibéricos, que está em risco de perder a casa se não comprar o terreno onde se encontra, lançou uma campanha na internet e prepara concertos e leilões de pintura para angariar dinheiro.

O objetivo é reunir os 150.000 euros necessários para adquirir o terreno em Mafra onde se encontram oito lobos ibéricos - e para onde vão ser levados mais seis nas próximas semanas -, sob pena de o centro de acolhimento dos animais perder a sua casa, disse à agência Lusa o presidente do Grupo Lobo, Francisco Petrucci-Fonseca.

"Neste momento confrontamo-nos com o problema de termos de adquirir o terreno. Caso contrário, temos de agarrar nos animais e em tudo o que pudermos e deslocarmo-nos para um outro terreno, que teremos de adquirir, ou que nos seja emprestado", afirmou o responsável da associação que criou, há 25 anos, o projeto de acolhimento dos lobos que não podem viver em liberdade.

Francisco Petrucci-Fonseca adianta que a associação tem cinco anos para efetuar a compra, mas admite que não tem dinheiro para o fazer.

"Já pagámos a primeira prestação, foi-nos emprestado o montante em causa e queremos manter o projeto naquela zona e não perder todo o investimento que foi feito ao longo destes 25 anos", refere, acrescentando que, "apesar de haver algumas pessoas que ofereceram terrenos, o investimento que teria de ser feito é muito superior ao valor do terreno" onde se encontram atualmente os animais.

Por isso, avança Francisco Petrucci-Fonseca, o grupo lançou uma campanha na internet para angariação de fundos - que reuniu até agora cerca de 26.000 euros - e está a preparar concertos e leilões para juntar o montante que falta.

"Estamos a falar com diversos artistas portugueses na área da música para ver se é possível fazer alguma coisa para angariar fundos e para chamar a atenção para a campanha e também com artistas plásticos, nomeadamente pintores, para ver se conseguimos obter algumas obras e fazer um leilão em que os fundos revertam para a campanha", disse.

Para Francisco Petrucci-Fonseca, é importante que seja a própria associação a reunir o valor necessário, afastando a hipótese de pedir ajuda quer ao Estado quer à câmara municipal.

"O Estado deve preocupar-se com uma coisa com a qual nós não podemos lidar: pagar os prejuízos causados pelo lobo nos animais domésticos", defende, lembrando que a lei já obriga o Estado a pagar esses prejuízos e se isso for "feito atempadamente" já "é uma forma prática de contribuir para a conservação deste animal".

Embora o Centro de Recuperação funcione como um polo de atração turística na região, Francisco Petrucci-Fonseca também considera que não deve ser a autarquia a resolver o problema. "Preferimos que as câmaras nos arranjem os caminhos e beneficiem aquilo que é público ali à volta, porque também é uma forma de ajudar o Centro".

PMC.

Lusa/fim.

0Comentários

últimos vídeos informação

evento nacional

evento internacional

Place de la Concorde, France(©2014: Peter Macdiarmid   1918: Maurice-Louis Branger   Roger Viollet   Getty Images)
O antes e depois de cenários da 1º Guerra Mundial

votação

Onde é que estava no 25 de abril?

Primiero Voto Ver os resultados

  1.  
    30 %
    Em casa
    65 Votos
  2.  
    22 %
    Na escola
    50 Votos
  3.  
    17 %
    No trabalho
    39 Votos
  4.  
    10 %
    Na rua
    22 Votos
  5.  
    21 %
    Ainda não era nascido
    47 Votos

Total das respostas 223
Inválido