Líder dos Socialistas e Democratas critica Bruxelas por sancionar medidas "inaceitáveis" para Portugal

Líder dos Socialistas e Democratas critica Bruxelas por sancionar medidas "inaceitáveis" para Portugal

Bruxelas, 17 set (Lusa) - O líder dos Socialistas e Democratas (S&D) no Parlamento Europeu, Hannes Swoboda, criticou hoje a Comissão Europeia por sancionar, na 'troika', exigências inaceitáveis e que tiveram forte contestação em Portugal.

"Os recentes desenvolvimentos em Portugal, mais uma vez destacaram as exigências unilaterais e inaceitáveis da 'troika'. A resistência cresce e é cada vez mais forte a cada medida que põe em causa o bem-estar dos europeus", escreveu Swoboda, numa carta enviada ao presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

O líder dos S&D, grupo que integra os eurodeputados do PS, sublinhou ser "inaceitável que os representantes da Comissão Europeia na 'troika' concordem com esta abordagem simplista do corte de salários e pensões, ao mesmo tempo que se aumentam os impostos sobre os mesmos".

"Esta abordagem nega claramente às pessoas o mínimo, que é um rendimento decente, e reduz a procura interna e aumenta a pobreza para um nível inaceitável", refere.

Swoboda diz ainda ser inaceitável que a comissão Barroso tenha "dois pesos e duas medidas" sobre a Europa social: "por um lado, o seu compromisso com o modelo social europeu, por outro lado, apoiando as recomendações da 'troika' para o destruir".

O líder do grupo socialista disse ainda esperar que Durão Barroso mostre "um maior enfoque social" e garanta "equidade no trabalho das 'troikas' e exija uma reversão nas suas políticas e recomendações".

IG.

Lusa/Fim